domingo, 18 de agosto de 2013

Ainda há uma criança...


Não sou mais uma criança.
Deixei de ser a muito tempo.
Mas no fundo, eu nunca perdi o lado criança de ser...
Ainda acredito em meus sonhos.
Mesmo eles parecendo impossíveis, acredito que sejam possíveis.
Ainda tenho esperanças que um conto de fadas possa existir.
Ainda tenho todas as esperanças que uma criança tem,
mesmo sabendo que o mundo não é como eu imaginava.
Acredito e confio nas pessoas como uma criança faz.
Mas meu jeito mulher me mostrou que nem sempre se deve fazer isso.
Como uma criança tenho meus momentos ingênuos.
Mas meu lado mulher me mostrou a malícia da vida, a não ser boba com quem quer apenas nos usar.
Igual a uma criança...
Imaginando o futuro da melhor forma possível,
como se o melhor e maior sonho do mundo fosse acontecer nos estralar de dedos.
Imaginando o amor eterno. 
Querendo que o amor seja eterno.
Querendo viver o amor eterno.
Querendo que tudo seja como imagino ser.
E mesmo já sendo uma mulher, irei sempre acreditar que...
A vida pode ser como eu desejo, basta lutar por isso.
Os sonhos podem se tornar reais, basta fazê-los acontecer.
Que o amor será eterno, basta sermos fieis a ele.
Que a vida pode ser como um conto de fadas, só que da nossa maneira de ser.
E isso é importante, todos deveriam ter ainda, o seu lado criança em alguns momentos.
Tenho os sonhos de uma criança, mas atitudes e uma malícia de uma mulher.
(Drielli Coelho.)
Postar um comentário